MDP – FF

ff2

Até agora já foi explicado 2 tipos de matéria prima para a fabricação de móveis, ou suas principais aplicações. Agora dando continuidade ao assunto, vamos falar de mais uma variação do MDP, no caso o MDP FF (Finish Foil).

Descrição
MDP FF é um Painel de Partículas de Média Densidade revestido em uma ou ambas as faces com folhas celulósicas do tipo finish foil especialmente tratadas com verniz, o que confere ao produto diferentes níveis de brilho ou o prepara para posterior envernizamento.

Características
MDP FF é um painel pronto para uso e que dispensa tratamentos superficiais complementares, permitindo adequar o processo produtivo às operações básicas de Corte, Esquadrejamento, Acabamento de Borda, Usinagem e Embalagem, garantindo alta produtividade fabril, de logística e de expedição. Por sua excepcional relação custo-benefício, confere ao móvel alta competitividade e grande penetração de mercado.

Principais Aplicações
Indústria moveleira em geral, especialmente na confecção de armários, estantes e racks. Não se recomenda sua aplicação em superfícies horizontal sujeitas à abrasão.

Mas aí você vem e diz: "Ta bom, ta tudo legal mas.. QUAIS AS DIFERENÇAS ENTRE MDP BP E MDP FF?

Tanto o MDP BP quanto o MDP FF utilizam como substrato o MDP in natura. O MDP BP é produto revestido de folhas celulósicas impregnadas de resina em uma prensa de Ciclo Curto e em Baixa Pressão, daí o nome "BP".
Antes da prensagem, a folha celulósica, unicolor ou decorativa, é submetida a banhos de resina uréia-formaldeído e melamínica. Após a prensagem, este composto de folha celulósica e resina forma com o painel in natura um corpo único e indissolúvel. É por isto também que o BP tem uma ótima resistência à abrasão, riscos e agentes manchadores, podendo ser utilizado em escritórios e cozinhas. Já o MDP FF é um produto revestido com folhas celulósicas envernizadas em uma linha contínua com rolos de aplicação resultante. Note que, diferentemente do MDP BP, não há a aplicação de banhos de resina e, desta forma, a folha celulósica é colada sobre o substrato.

Fontes: Satipel e Móveis Conquista

5 Comentários Add your own

  • 1. Vilmar L. S. Paiva  |  9 de setembro de 2009 às 4:25 pm

    Quando se fala em USINAGEM no ítem MDP FF, é bom lembrar e salientar que a usinagem ali referenciada é somente para linhas retilíneas e não em baixo relevo, ao contrário do MDF que é permitido.

    Resposta
  • 2. Márcio  |  17 de janeiro de 2010 às 5:14 am

    Final das contas esses materiais são criados para baratear custos para fabricante e diminuir qualidade. Veja esses móveis de hoje, não duram nada e não são literalmente feitos de “celulose”= PAPEL. Quer quer móveis de qualidade vai a uma marcenaria de manda fazer com madeira de qualidade, como já fiz na minha casa… enquanto um armário está durando mais de 7 anos num quarto intácto… no outro quarto já é o terceiro q entra na minha casa… Hoje não só móveis, mas como tudo que se produz não se pensa mais em qualidade duradoura, mas sim em diminuição de custos de produção e que se foda o consumidor.

    Resposta
    • 3. Ricky Alves P. Pimentel - Magazine Luíza  |  25 de fevereiro de 2011 às 11:27 pm

      Não é bem assim, amigo. Com as restrições – e em alguns casos proibições – da retirada de madeira, ela se tornou uma matéria – prima cara. Comercialmente falando, não se torna viável produção em larga escala de móveis em madeira. Concordo com voçê no tocante a qualidade, mas não pense no assunto como queda de qualidade. Ela existe, mas como uma consequência. O motivo principal é a sustentabilidade, já que painéis de MDP e MDF chegam a ter um aproveitamento de até 80% da árvore, feito esse que não aconteçe usando-se madeira como matéria prima.
      Uma prova sobre a viabilidade, se referindo aos custos… Seu ármario de sete anos certamente custou muito mais que seus outros armários, os que voçê teve que trocar.
      O problema não é diminuição, e sim, viabilização de custos.

      Resposta
  • 4. Ton  |  13 de novembro de 2013 às 3:45 pm

    Mas se o MDP FF não é recomendado para superfícies horizontais, porque é utilizado em estantes, por exemplo?

    Resposta
    • 5. Elton  |  29 de junho de 2014 às 2:00 pm

      Agradeço o comentário e peço desculpas na demora em responder, mas quando se diz que não é recomendado o uso na horizontal quer dizer nas superfícies que podem ser utilizadas produtos químicos para não prejudicar o acabamento, e não em relação a resistência. Espero ter conseguido tirar sua dúvida.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: